FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Doutor Bumbum deixa prisão no Rio após conseguir habeas corpus

Preso desde julho de 2018, médico é acusado pela morte de bancária após procedimento estético

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2019 | 21h54

RIO - O médico Denis Cesar Furtado, conhecido como Doutor Bumbum e preso desde 19 de julho de 2018, foi libertado nesta quarta-feira, 30, por ordem da Justiça do Rio.

Ele é acusado pela morte da bancária Lilian Calixto, de 46 anos, após um procedimento estético no dia 14 de julho. Furtado aplicou PMMA nos glúteos de Lilian. Derivada do acrílico, a substância não deve ser usada em grandes quantidades. Lilian morreu horas após a intervenção. 

Em julgamento anteontem, os desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concederam um habeas corpus ao médico, que cumpria prisão preventiva no presídio de Bangu 8, no complexo penitenciário de Gericinó, na zona oeste. 

Em vez da prisão, a Justiça determinou o cumprimento de medidas cautelares. Furtado deverá comparecer mensalmente em juízo, abster-se de qualquer contato com as testemunhas, está proibido de se ausentar do Rio e do Brasil sem autorização judicial e deve se recolher em casa no período noturno, quando não estiver trabalhando

Mais conteúdo sobre:
Denis Furtado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.