DRU passa na CCJ, mas base faz mais exigências

O governo venceu a primeira votação na Câmara para prorrogar o mecanismo que permite à presidente Dilma Rousseff reservar 20% dos recursos do Orçamento para gastar em áreas sem destinação obrigatória, a chamada Desvinculação de Receitas da União (DRU). Por 41 votos a 11, a prorrogação da DRU passou na Comissão de Constituição e Justiça e agora será analisada por uma comissão especial, antes de ir a votação em dois turnos pelo plenário.

DENISE MADUEÑO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2011 | 03h05

Ontem mesmo, porém, o governo foi avisado por líderes da base que a aprovação da proposta não será tão fácil nos passos seguintes de tramitação, se não for cumprido o compromisso de liberação de recursos orçamentários para obras indicadas pelos parlamentares nos municípios.

Em reunião ontem com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, aliados lembraram que o governo não empenhou o dinheiro do Orçamento de 2011 para despesas previstas pelas emendas parlamentares. "Queremos uma pista de mão dupla. O que vai vem. Temos de ser parte da gestão. A presidente não pode ser a vassourinha que varre tudo e nós a lata de lixo em que cabe tudo", reclamou o líder do PTB, Jovair Arantes (GO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.