AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Duas chacinas deixam seis mortos

Vingança ou assalto e ação de "justiceiros" são as hipóteses da polícia para as duas chacinas em um período de seis horas na Grande São Paulo - a região metropolitana já registrou 28 casos de matanças neste ano. Cada um dos dois crimes deixou três mortos. Uma quarta vítima sobreviveu aos disparos. Esse foi o primeiro caso da noite. Quatro amigos conversavam na Rua Carlos Damião Gomes, em Itapecerica da Serra, quando os criminosos chegaram. Eram 22h30.Os cinco assassinos passaram pelas vítimas - três homens e uma mulher - e as cumprimentaram. Em seguida, aproximaram-se e mandaram todos deitar. A polícia desconfia que os criminosos fossem "justiceiros" porque um deles disse, após todos deitarem, que os roubos no bairro iam acabar.Em seguida, atiraram. O ajudante Israel de Jesus Santos, de 20 anos, morreu na hora. Damaris Bezerra da Silva, de 16, e o ajudante André Souza Silva, de 21, morreram no pronto-socorro da cidade, para onde foi levado o único sobrevivente, o impressor F.A.D., de 21.Com F.A.D., a polícia encontrou uma substância semelhante à maconha, enviada para perícia. O outro crime ocorreu às 4h30, em uma travessa da Avenida Sapopemba, no Parque São Rafael, na zona leste de São Paulo. Os amigos Jaker Issao Abe, de 27 anos, Aparecido da Silva Oliveira, de 29, e Alexsandro Correa, de 19, foram achados mortos com tiros na cabeça ao lado do Corsa de Abe.O carro estava atolado na rua de terra. Foram roubadas as carteiras dos três, que saíram de casa neste domingo à noite para ir a uma choperia.Para o delegado Paulo Marcos Bueno Prado, da Divisão de Homicídios, eles podem ter sido vítimas de roubo ou de vingança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.