Duas mil escolas de SP terão segurança reforçada

Até o final deste ano duas mil escolas da rede estadual paulista serão equipadas com câmeras de vídeo e alarmes, de acordo com informação do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), dentro de um programa de prevenção à violência nas escolas. O valor do investimento não foi revelado, mas essa verba destinada à segurança não está incluída no pacote de R$ 500 milhões suplementares para a educação, anunciado hoje, em evento no Palácio dos Bandeirantes, e que beneficiará cerca de seis mil escolas estaduais.Segundo Alckmin, os alunos não deveriam entrar armados nas escolas, mas é impossível revistar cada um deles. Ontem, um aluno de 13 anos da 7ª série da Escola Estadual Professora Ordânia Janone Crespo, em Santo André, feriu a professora com um tiro de revólver calibre 38, dentro da sala de aula. "Precisamos atuar nas causas da violência. Estimular parcerias com a comunidade, trabalhar com artes, cultura, lazer, esportes", disse Alckmin. "Depois, é polícia", completou, referindo-se a uma fase posterior do combate à violência.A secretária estadual de Educação Rose Neubauer preferiu não revelar o valor do investimento na área da segurança para não elevar o preço do equipamento - câmeras de vídeo e aparelhos de alarme - que serão comprados pelas escolas. Além desse material, também haverá reforço policial. As duas mil escolas - na Capital, Grande São Paulo e Interior - que necessitam de investimento extra na segurança foram escolhidas de acordo com levantamento sobre casos de violência obtidos junto às Secretarias da Segurança e da Educação.O investimento suplementar de R$ 500 milhões para a área da educação, anunciado hoje, terá como objetivo básico a gestão administrativa, construção e reformas de prédios e salas de aulas. São 11 programas, entre eles a capacitação profissional de professores, novos equipamentos, compra de livros não didáticos com indicação dos próprios alunos, entre outros. Um dos destaques é o programa Parceiros do Futuro, que traz a comunidade para dentro da escola aos finais de semana, com atividades de artes e esportes coordenadas por monitores.Segundo Alckmin, a aplicação desses recursos não está vinculada ao ano pré-eleitoral. "Não há nenhuma relação. Eleição é em ano par, nós estamos em ano ímpar", resumiu o governador, que tem por hábito não falar sobre o tema. "O investimento será feito porque é necessário e os recursos são uma raspa do fundo do tacho na execução orçamentária", completou. Alckmin anunciou também que o pagamento do funcionalismo, inclusive pensionistas e aposentados, que ocorre no quinto dia útil, foi antecipado para a próxima quinta-feira em razão do feriado de 7 de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.