Duas mulheres morrem atropeladas durante protesto em Goiás

Motorista teria avançado sobre manifestantes em Cristalina; com esse caso, sobe para quatro o número de mortes ligadas à onda de protestos pelo País

Marília Assunção, Especial para o Estado

24 de junho de 2013 | 11h23

GOIÂNIA - Pouco antes das 7 horas desta segunda-feira, 24, quando interditavam a pista da BR 251, próximo à cidade de Cristalina, município goiano do Entorno do Distrito Federal, duas mulheres acabaram mortas por atropelamento durante um protesto. Segundo a Polícia Rodoviária Federal do DF, a rodovia está interditada nos dois sentidos por cerca de 400 manifestantes na altura do Setor Marajó.

As vítimas foram atropeladas quando ajudavam a fechar a pista com pneus. Um levantamento preliminar apontou que o motorista de um Gol teria avançado contra o grupo de manifestantes. Ele teria fugido sem prestar socorro às mulheres, que morreram no local. As vítimas ainda não foram identificadas. A manifestação teria sido organizada para reivindicar a legalização de lotes do setor Marajó, e melhorias em serviços públicos como infraestrutura, saúde, segurança e transporte. A rodovia liga Cristalina a Unaí (MG), também no Entorno do DF.

Com esse caso, sobe para quatro o número de mortes ligadas à onda de manifestações pelo País. Na quinta-feira, 20, o estudante Marcos Delefrate, de 18 anos, foi atropelado e morto por um motorista que avançou sobre as pessoas que protestavam em Ribeirão Preto. Na sexta-feira, 21, morreu em Belém a gari Cleonice Moraes, de 54 anos, que foi intoxicada por gás lacrimogêneo ao tentar fugir de confusão em protesto.   

 

Tudo o que sabemos sobre:
protestosGoiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.