Duas mulheres morrem depois de fazer endoscopia em SC

As vítimas tiveram uma parada cardiorrespiratória na sala de recuperação

Julia Baptista, da Central de Notícias

15 de maio de 2010 | 19h53

SÃO PAULO - Duas mulheres, de 54 e 60 anos, morreram depois de passar por uma endoscopia em uma clínica particular de Joaçaba, a 370 km de Florianópolis (SC), na tarde de ontem. As mulheres tiveram uma parada cardiorrespiratória na sala de recuperação.

 

Outras cinco pessoas também passaram mal depois de fazer o procedimento. Uma adolescente de 15 anos está internada em estado grave no Hospital de Joaçaba. Os outros quatro pacientes estão em observação e não correm risco de morte.

 

Segundo o delegado Maurício Pretto, responsável pelo caso, todo medicamento usado no procedimento foi apreendido e passará por uma perícia. As possíveis causas, apontadas pelo delegado, podem ser a contaminação do produto para a assepsia do aparelho usado na endoscopia, a xilocaína da anestesia ou algum erro médico.

 

O gastroenterologista Denis Conci Braga, proprietário da clínica e responsável pelos exames, foi preso em flagrante e autuado por homicídio culposo (sem a intenção de matar), de acordo com a Polícia Civil. Ele pagou fiança de R$ 2.500 e vai responder em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.