Duas pessoas morrem em naufrágio de barco no Pará

Outras 17 pessoas ficam feridas; equipes dos bombeiros mantém equipes no local para buscar mais sobreviventes

Carlos Mendes, especial para o Estadão,

26 de novembro de 2007 | 19h20

Duas pessoas morreram e outras 17 ficaram feridas durante naufrágio do barco "Ajuda de Deus", na manhã desta segunda-feira, 26, em frente à Ilha de Cotijuba, distrito de Belém. Estela Gemaque Laloe, de 22 anos, e Raimunda da Conceição Batista, 33, não sabiam nadar e morreram afogadas. As informações ainda são contraditórias. Alguns sobreviventes dizem que 60 pessoas estavam no barco, enquanto outros calculam 50. As causas do acidente ainda estão sendo apuradas. O barco era à vela e naufragou rapidamente depois de enfrentar forte correnteza na Baía de Guajará. Dos 17 sobreviventes, 11 foram liberados do Pronto Socorro e seis continuavam internados, incluindo duas crianças de 4 e 7 anos. Elas escaparam da morte porque ficaram em cima de um colchão, mas estão muito abaladas. O Corpo de Bombeiros mantém duas equipes no local do naufrágio para encontrar mais sobreviventes. O barco que afundou se encontra a vinte metros de profundidade. Oito mergulhadores já fizeram uma primeira vistoria na embarcação e devem retomar o trabalho na manhã desta terça-feira. O objetivo é encontrar corpos dentro do barco. "Era um barco familiar e não havia controle sobre o número total de passageiros", disse o major Augusto Lima, do Corpo de Bombeiros. Todos iriam para um enterro na cidade de Gurupá, no arquipélago do Marajó. A Capitania dos Portos abriu inquérito para apurar o acidente.

Mais conteúdo sobre:
ParáNaufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.