Dudu Nobre registra queixa de racismo contra companhia aérea

Cantor diz ter sido chamado de burro e visto um funcionário imitar um macaco próximo a ele e sua mulher

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2008 | 18h45

O músico Dudu Nobre e a mulher dele, a dançarina Adriana Bombom, registraram queixa por agressão e injúria racial na Polícia Federal do Aeroporto Tom Jobim contra comissários da American Airlines, na tarde de segunda-feira. Durante o vôo 951 - Nova York/São Paulo/Rio -, o casal, que estava acompanhado das duas filhas, teria sido chamado de burro, idiota e viu um dos funcionários da empresa fazer imitações de macaco. Eles ainda acusam o empregado da companhia de ter agredido fisicamente um amigo do casal.  Dudu contou que o mal-estar começou no início da viagem, quando Adriana teve dificuldades para abrir a porta do banheiro do avião e pediu ajuda a uma comissária da primeira classe. Nesse momento, a funcionária teria chamado Adriana Bombom de "stupid [estúpida]". "Falei para ela deixar quieto, porque a viagem seria longa. Mas enquanto eu dormia, um comissário parou do meu lado e começou a fazer movimentos, imitando um macaco. A Adriana viu. Ainda assim não criamos confusão". A discussão ganhou maiores proporções quando o casal deixava o avião. Dudu saiu à frente com as duas filhas, de 5 e 6 anos, e Adriana veio atrás. "Ao sair, ela disse que deveriam tratar com mais respeito os passageiros e o comissário passou a chamá-la de babaca e idiota. Meu amigo foi defendê-la e esse funcionário, Carlos, cravou uma caneta no ombro dele", contou Dudu. De acordo com o músico, o comissário parecia transtornado. "Quando voltei para ver o que estava acontecendo, ele estava em posição de luta, como se fosse dar um soco. Uma pessoa completamente despreparada", contou Dudu. Para não perder a conexão para o Rio, o casal preferiu registrar a queixa na delegacia da PF no Aeroporto Tom Jobim. O amigo do casal, o produtor de eventos Júnior, foi encaminhado para exame de corpo de delito. "Na Polícia Federal disseram que não é a primeira queixa contra esse funcionário. Vamos processar a American por causa da falta de respeito, pelo despreparo dos seus empregados. Já na ida, vimos um grupo de skatistas, que seguia para Dallas, ser desrespeitado pelos funcionários da companhia. O que nós passamos, na frente das meninas, foi uma covardia tremenda", disse o músico. A Polícia Federal confirmou que fez o registro da ocorrência, mas não informou quais providências foram tomadas. Em nota, assinada pelo diretor comercial da American Airlines, Dilson Verçoza Jr., a companhia informa que abriu investigação interna para "saber o que realmente aconteceu". Segundo o texto, o casal não fez "nenhuma reclamação oficial diretamente à companhia", que só soube do episódio ontem pela manhã "pelos jornais".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.