Duelo de petistas emperra aliança com PMDB em Minas

Duelo de petistas emperra aliança com PMDB em Minas

Lula prefere Hélio Costa e cobra palanque único para Dilma, mas Patrus e Pimentel insistem em candidatura própria do PT

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

04 de abril de 2010 | 00h00

Apesar dos apelos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva por palanque único em Minas para a petista Dilma Rousseff, diretórios do PT e do PMDB no Estado continuam uma disputa que mantém sob suspense o desfecho da articulação. E a decisão de Patrus Ananias de se desincompatibilizar do cargo de ministro do Desenvolvimento Social, na semana passada, surpreendeu o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, e seu grupo, deixando claro que o PT ainda não resolveu seu impasse.

O PMDB, que tem como pré-candidato o ex-ministro das Comunicações Hélio Costa, reclama da demora e estabeleceu o dia 20 de maio - data do encontro regional do partido - como prazo final. "Temos de encontrar uma fórmula de chegar a um consenso mais rápido. Isso aí só está causando incômodo muito grande", disse Costa ao Estado.

"Se o PT entender que é importante compor conosco, vamos compor. Se achar que não, vamos manter nossa candidatura", afirmou o presidente do PMDB-MG, deputado Antônio Andrade.

O PT tenta ganhar tempo e convencer o presidente Lula a apoiar uma candidatura própria no segundo maior colégio eleitoral do País. As notícias de que Lula prefere a candidatura de Costa fizeram com que os dois petistas iniciassem aproximação. Um acordo vinha sendo construído entre os dois grupos para que Patrus ficasse no ministério e o ex-prefeito fosse indicado para cabeça de chapa. Mas o ex-ministro do Desenvolvimento saiu, após se reunir com aliados, no domingo anterior ao prazo final para a desincompatibilização.

O PT-MG encaminhou a Lula um manifesto - assinado por Pimentel e Patrus, além de prefeitos, vices e deputados - em apoio a uma candidatura própria. O presidente estadual do PT, deputado federal Reginaldo Lopes, aliado de Pimentel, mantém o discurso favorável ao palanque duplo para Dilma no Estado. Mas ninguém no PT acredita que os pré-candidatos terão disposição de contrariar Lula.

Costa irá vai se reunir nesta semana com correligionários para definir uma agenda. Peemedebistas reclamam que a demora do PT mineiro fortalece o governador Antonio Anastasia, pré-candidato apoiado pelo ex-governador Aécio Neves (PSDB). Nas pesquisas, Anastasia já aparece com 20% das intenções de voto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.