Dupla é presa com munições iguais às utilizadas contra soldado de UPP no Rio

Criminosos deixavam a Vila Cruzeiro quando foram abordados por PMs do Batalhão de Campanha

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo,

25 de julho de 2012 | 03h38

SÃO PAULO - Por volta das 20 horas desta terça-feira, 24, a Polícia Militar deteve, numa das saídas da Favela da Vila Cruzeiro, na Penha, dois homens que portavam 62 munições para fuzil calibre 7.62, o mesmo calibre utilizado contra a soldado Fabiana Aparecida de Souza, de 30 anos, da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), morta na última segunda, 23, na Favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na zona norte da capital fluminense.

 

Amarildo Nogueira Alves da Silva e Romário Barbosa de Jesus tentavam deixar a comunidade, que fica ao lado do Complexo do Alemão, quando foram abordados por policiais do Batalhão de Campanha, com sede do 16º Batalhão, de Olaria. Não se sabe ainda se a dupla detida teve participação na morte de Fabiana ou se conhece os verdadeiros autores do assassinato. Até agora, quatro suspeitos foram presos e um menor está apreendido. A polícia investiga uma eventual participação deles no homicídio. Os dois presos foram encaminhados para a 22ª Delegacia, da Penha.

 

Um dos bandidos detidos pela polícia é o traficante conhecido como "Marcelinho da Cidade de Deus", que estava foragido desde maio de 2008 e tem sete mandados de prisão em aberto, entre eles um por homicídio e um por assalto a mão armada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.