Dupla expulsava famílias para ocupar apartamentos

Dois homens suspeitos de pertencer àfacção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) foram presos,na madrugada desta terça-feira, na região do Parque Bristol, na zonasul de São Paulo, sob a acusação de expulsar moradores deconjuntos habitacionais populares para tomar posse dos imóveis.Policiais militares da 7ª Companhia do 22º Batalhão detiveramos irmãos Luiz Carlos Pereira de Lima, de 20 anos, e DanielPereira de Lima, de 29, que estava em liberdade havia apenassete meses depois de cumprir 10 anos de prisão por roubo naPenitenciária de Presidente Venceslau.A quadrilha vinha agindo no Conjunto Habitacional José Paulinodos Santos, do Projeto Cingapura, localizado na Rua Silas, noJardim Clímax. Os bandidos acabaram detidos dentro de um dosapartamentos já ocupados à força."Há uma semana investigávamos uma quadrilha acusada dedesalojar moradores do Cingapura para vender drogas", afirmou odelegado Gilmar Pasquini Contrera, titular do 83º DP, onde adupla foi autuada em flagrante.Apesar das ameaças feitas pela dupla, uma das vítimas que tevede deixar seu apartamento nesta segunda-feira decidiu pedir socorro à PolíciaMilitar.Segundo o cabo Wagner Brito, um dos policiais que detiveram osbandidos, o medo da população de denunciar dificulta as prisões.Os dois detidos foram reconhecidos pelo denunciante e peloproprietário de outro apartamento, que teve de deixar seu imóvelno sábado.Apesar da prisão dos acusados, um dos moradores saiu de seuimóvel dizendo que não vai retornar, pois teme represálias deoutros membros da quadrilha.Uma das vítimas dos bandidos é casada e tem duas filhaspequenas. O policial militar acredita que pelo menos 15apartamentos foram invadidos pelos criminosos no conjuntohabitacional.A dupla foi autuada por furto, pois já havia entrado no imóvelda última vítima e levado alguns pertences. "Depois deexpulsarem a vítima, ambos levaram alguns objetos que estavam noapartamento para a casa da mãe. Os militares localizaram tudo eo roubo ficou configurado", explicou o delegado.A quadrilha agia sempre ameaçando os moradores, que eramobrigados a sair deixando tudo, levando apenas a roupa docorpo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.