Dupla não é ´suspeita concreta´ de matar fotógrafo, diz delegado

O delegado Nelson Guimarães, do departamento que reúne as delegacias da região de São Bernardo do Campo, afirmou que não quer se precipitar e negou que os dois homens presos na madrugada de hoje na periferia da cidade possam ser tratados como suspeitos do assassinato do fotógrafo Luiz Antônio Costa, da revista Época. Segundo ele, a polícia não tem "suspeitos concretos", e sim várias dúvidas e nenhuma hipótese na investigação do caso. Os dois homens estão sendo levados para prestar depoimento na Delegacia Seccional, assim como as testemunhas do crime. "Não temos hipóteses. Temos dúvidas e queremos esclarecê-las hoje, no decorrer do dia, ouvindo as pessoas que estavam com o fotógrafo no momento do crime e as que estavam no posto de gasolina assaltado instantes antes", afirmou o policial. O delegado contradisse a informação dada momentos antes pela Delegacia Seccional de São Bernardo do Campo, de que dois homens suspeitos do crime haviam sido presos. Ele optou pela cautela e declarou que há muitas informações desencontradas. Guimarães frisou que todos os fatos serão investigados e por enquanto não quer ligar o assassinato do fotógrafo ao assalto no posto de gasolina. Segundo ele, se um dos assaltantes quisesse fugir, dificilmente ele correria para o meio de uma multidão, onde haveria a possibilidade de ser pego e entregue à polícia. Lembrou também que o prazo para a conclusão do inquérito é de 30 dias, e que não vai ceder às pressões e tirar conclusões precipitadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.