Dupla presa após grupo amarrar explosivos em vítimas na Grande SP

Vítimas foram dominadas na porta de casa por falsos funcionários dos Correios

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

02 de julho de 2011 | 04h07

SÃO PAULO - Dois integrantes de uma quadrilha de sequestradores foram presos em Carapicuíba, na região oeste da Grande São Paulo, e três vítimas libertadas, duas delas no mesmo município e outra em Barueri, cidade vizinha, na tarde de sexta-feira, 1, por agentes da Divisão Antissequestro (DAS).

 

Armados e passando-se por funcionários dos Correios, os bandidos, com uso de um cinturão com explosivos e um celular, usado como suposto detonador a distância, dominaram uma funcionária de uma agência bancária e os pais dela na porta da casa da família, em Carapicuíba, na quinta-feira, 30.

 

A filha do casal, que trabalha em uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF), em Barueri, teve o cinturão amarrado junto ao corpo e foi obrigada, na manhã de sexta-feira, 1, a ir até a agência e esperar pela chegada do carro-forte com um malote de dinheiro, que seria entregue aos criminosos posteriormente.

 

Enquanto isso, os pais da mulher, de 67 e 65 anos, já estavam em um cativeiro, em Carapicuíba, também com explosivos junto ao corpo. A funcionária do banco e um segurança acionaram a Polícia Civil, que enviou uma equipe especializada em bombas até a agência, onde a vítima foi libertada do cinturão.

 

Dois dos criminosos, de 28 e 29 anos, que faziam contato via telefone com a funcionária da agência, foram detidos por outra equipe de investigadores em Carapicuíba, permitindo a localização do cativeiro, de onde os pais da mulher acabaram libertados também. Os bandidos que vigiavam as vítimas conseguiram escapar.

 

O caso foi registrado na Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (Delepat), na sede da Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo, no bairro da Lapa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.