Dupla presa após grupo amarrar explosivos em vítimas na Grande SP

Vítimas foram dominadas na porta de casa por falsos funcionários dos Correios

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

02 Julho 2011 | 04h07

SÃO PAULO - Dois integrantes de uma quadrilha de sequestradores foram presos em Carapicuíba, na região oeste da Grande São Paulo, e três vítimas libertadas, duas delas no mesmo município e outra em Barueri, cidade vizinha, na tarde de sexta-feira, 1, por agentes da Divisão Antissequestro (DAS).

 

Armados e passando-se por funcionários dos Correios, os bandidos, com uso de um cinturão com explosivos e um celular, usado como suposto detonador a distância, dominaram uma funcionária de uma agência bancária e os pais dela na porta da casa da família, em Carapicuíba, na quinta-feira, 30.

 

A filha do casal, que trabalha em uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF), em Barueri, teve o cinturão amarrado junto ao corpo e foi obrigada, na manhã de sexta-feira, 1, a ir até a agência e esperar pela chegada do carro-forte com um malote de dinheiro, que seria entregue aos criminosos posteriormente.

 

Enquanto isso, os pais da mulher, de 67 e 65 anos, já estavam em um cativeiro, em Carapicuíba, também com explosivos junto ao corpo. A funcionária do banco e um segurança acionaram a Polícia Civil, que enviou uma equipe especializada em bombas até a agência, onde a vítima foi libertada do cinturão.

 

Dois dos criminosos, de 28 e 29 anos, que faziam contato via telefone com a funcionária da agência, foram detidos por outra equipe de investigadores em Carapicuíba, permitindo a localização do cativeiro, de onde os pais da mulher acabaram libertados também. Os bandidos que vigiavam as vítimas conseguiram escapar.

 

O caso foi registrado na Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (Delepat), na sede da Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo, no bairro da Lapa.

Mais conteúdo sobre:
sequestro, explosivos, quadrilha, PF

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.