Dupla rouba casa e encontra a polícia na saída

Eles planejaram o roubo e tinham informações sobre onde os dólares estavam guardados dentro da casa, mas a pressa estragou tudo. Os dois homens entraram na residência do empresário Aquiles Enrique José Manzi Preve, de 66 anos, com uma pistola calibre 380. Dominaram dois empregados, a cunhada e dois sobrinhos de Preve. Apanharam US$ 140 mil, amarraram todo mundo e, em vez de saírem com calma da casa na Rua Adibo Aires, no Morumbi, zona sul, resolveram correr até o carro.Acabaram despertando a suspeita de dois policiais militares que estavam passando pelo local. Resultado: no tiroteio, um dos acusados morreu e outro foi preso. Todo o dinheiro foi recuperado.O crime ocorreu nesta quarta-feira às 12 horas.Os dois assaltantes chegaram em um Gol. Pararam o carro perto da casa da vítima, que tem uma empresa de turismo. Tocaram a campainha e foram atendidos pelo caseiro Claudio Pereira dos Santos, de 29 anos. Disseram que estavam ali para fazer um reparo na adega da casa.De fato, o local está passando por uma reforma há quase um ano. A obra está sendo realizada por um escritório contratado pelo empresário. Um dos homens, Delson Lourenço da Silva, de 34 anos, vestia uma jaqueta com seu nome verdadeiro estampado como se fosse o de sua empresa: Delson Lourenço Marcenaria.O caseiro não desconfiou de nada e abriu o portão. Já estava na adega quando um dos homens sacou a pistola e anunciou o roubo. Santos tentou correr, mas foi atingido por três coronhadas na cabeça e acabou sendo amarrado pelos bandidos. Os ladrões entraram na casa e dominaram uma empregada, a cunhada e dois sobrinhos do empresário, que tinha saído.Não perguntaram onde estava o dinheiro, pois, aparentemente, já sabiam onde apanhá-lo. Entraram no escritório e pegaram os dólares, colocando-os em uma sacola. Com todas as vítimas amarradas, eles deixaram a casa. A ação durou 15 minutos e os bandidos decidiram deixar a casa rapidamente.Naquele momento, o cabo Samuel Soares de Oliveira e o soldado Maclane Antônio Chagas Figueró passavam pela rua e pediram para a dupla parar.Segundo os PMs, um dos acusados, que estava usando uma identidade em nome de Júlio Cesar Pereira, de 22 anos, disparou. Os policiais revidaram.O Gol dos acusados foi perfurado pelas balas. No tiroteio, Pereira foi atingido no peito. Silva se entregou. Dentro do carro, os policiais acharam os dólares. Pereira foi levado pelos PMs ao pronto-socorro do Hospital das Clínicas, onde morreu. Seu colega foi autuado em flagrante na 3ª Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio. A polícia quer saber como os assaltantes sabiam da existência do dinheiro na casa da vítima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.