Dutra já trata mineiro como adversário de 2014

A proposta do PT mineiro de ter uma forte atuação em Minas para combater a liderança do senador Aécio Neves (PSDB) entre os oposicionistas ganhou ontem o aval do presidente nacional do partido, José Eduardo Dutra. "Não tenho a menor dúvida de que o nosso adversário em 2014 será o Aécio Neves", disse Dutra, em encontro com os petistas mineiros em Belo Horizonte.

Eduardo Kattah,

19 de fevereiro de 2011 | 00h38

Durante o debate Relação do Governo Federal e do PT Nacional com o PT de Minas e o Governo Anastasia, Dutra concordou que a melhor forma de "solapar" a liderança de Aécio "é combater o futuro adversário em Minas".

Era o que os petistas mineiros queriam ouvir. Em dezembro, o diretório aprovou resolução em que define Aécio como "líder da oposição neoliberal" e se propõe a ser o contraponto aos tucanos no Estado, cobrando da Executiva nacional e do governo federal o reconhecimento da condição estratégica de Minas.

A principal reclamação dos mineiros diz respeito às obras federais no Estado. Para eles, Aécio capitalizou os investimentos da União e sua relação cordial com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "A relação Lula e Aécio foi uma e a relação Dilma-Aécio-Anastasia tem de ser outra. Aécio é nosso adversário", disse o presidente do PT mineiro, deputado Reginaldo Lopes.

Escritório. Dilma tem mantido boa relação institucional com Anastasia, para quem o campo de oposição política do PSDB é o Congresso, não os Executivos estaduais. A presidente, por sinal, decidiu abrir um escritório do Planalto em Belo Horizonte.

Anastasia e Dilma se encontrarão na segunda-feira, em reunião da Sudene em Aracaju (SE). E, a convite do tucano, a petista será a oradora oficial e principal homenageada da solenidade do 21 de Abril, em Ouro Preto (MG), data comemorativa mais importante do Estado.

Apesar dessa aproximação, o PT mineiro acredita que Dilma deve ter agenda própria no Estado e quer falar sobre o tema com o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. "Queremos que ele compreenda qual o cenário da política em Minas. Temos de liderar os investimentos (da União no Estado) e não deixar que Aécio e Anastasia capitalizem", disse Lopes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.