É duro ocupar o quintal de Roberto Jefferson

Interlocutor desconhecido é o aviso de que José Serra, de novo, ocupará o quintal alheio com propaganda eleitoral, desta vez a do PTB. Biografia do candidato desde de sua origem humilde, currículo político incluindo o exílio, e o sentimento de filme de Sessão da Tarde é inevitável. Sim, o eleitor já viu isso na semana passada, no próprio quintal do PSDB, seu horário político na TV. A lista do "foi o Serra quem fez" entra em cena, com siglas protagonistas: FAT e a promessa de criar o ProTec. Mas o que elas significam se perde diante do esforço de dar ao candidato a paternidade do seguro desemprego. Desse ele quer ser pai e sem fazer DNA. Combate às drogas e segurança pública são pincelados para fazer a lição de casa das pesquisas de opinião. Se em fotos que relembram seu passado Serra aparece ao lado de Ulysses Guimarães e Mário Covas, na atualidade, na mesa da convenção-palanque da vez, estão Geraldo Alckmin e Roberto Jefferson. Impossível ver o presidente do PTB em discurso inflamado sem se lembrar das CPIs do mensalão. Associação forte, como as cores do colete de Jefferson. Tão fortes que ofuscam quem pegou o quintal emprestado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.