''É o encontro de Cidade de Deus e Tropa de Elite''

ENTREVISTA - Jon Blair: documentarista inglês

, O Estadao de S.Paulo

31 de janeiro de 2009 | 00h00

O documentarista Jon Blair não vê dilema moral em dar voz a traficantes. Entendê-los, diz, pode ajudar na solução da "guerra civil de menor grau" do Rio. É ético dar voz a traficantes? Não vejo dilema ético ou moral. O princípio para buscar soluções é entender o inimigo. Sem isso, não há chance. Ouvi-los e entendê-los não significa simpatizar com seus métodos.Foi mais fácil documentar o tráfico sendo estrangeiro?Nas conversas com traficantes e policiais ficou claro que o fato de sermos estrangeiros fez com que tivéssemos uma confiança que talvez brasileiros não teriam. Admiro muito o documentário 174, de José Padilha, mas ficou claro que ele não podia penetrar na realidade da favela.Com tanta gente armada, não tiveram medo?Não vou fingir que não havia riscos, mas talvez menores do que se imagina. Em 30 anos, cobri guerras em três continentes. Mas foi a primeira vez que trabalhamos de coletes e capacetes. Por que o senhor quer lançar o documentário primeiro no Brasil?Vejo este filme como o encontro de Cidade de Deus e Tropa de Elite, mas na vida real.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.