É prevista uma rave gigantesca no show de Fatboy Slim na Bahia

Desembarcou no início da noite desta segunda-feira no aeroporto de Salvador o DJ e produtor inglês Fatboy Slim, vindo de São Paulo, ele se apresentou em Maresias, no Sirena, no litoral norte, onde tocou na noite do último domingo, antes, passara por Belo Horizonte, Brasília e Camboriú. O superprodutor é a nova atração do carnaval baiano - ele toca na terça-feira por volta da meia-noite no circuito de rua da festa, no Bloco Skol. O brasileiro DJ Patife fará o aquecimento para Fatboy, conduzindo as picapes até o Farol da Barra. Fatboy, cujo nome real é Norman Cook, tem um dos maiores salários do mundo das pistas. Já pôs para dançar 360 mil pessoas em Copacabana, há dois anos. Na chegada a Salvador, às 18h35, ele confraternizou com fãs (até brincou com um mais gordinho, um verdadeiro "fat boy", garoto gordo em inglês, já que Cook é magro). Segundo a assessoria de Imprensa da Skol, que traz Fatboy, os 4,5 mil abadás de sua apresentação já foram vendidos (ao preço oficial de R$ 260; mas no mercado negro, em Salvador, os preços podem ir a mais de R$ 1 mil). A organização vai distribuir piscas-piscas para os foliões, além de prever transformar o circuito numa rave, com apresentações de pernas-de-pau e malabares durante a ferveção carnavalesca de Fatboy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.