EADS atrasa entrega de A350, lucro no 3o tri supera previsões

A EADS, dona da Airbus, adiou em seis meses o lançamento do A350, a um custo de 200 milhões de euros (272 milhões de dólares), para ter mais tempo de entregar a resposta europeia ao 787 Dreamliner, da Boeing.

TIM HE, REUTERS

10 Novembro 2011 | 12h59

O adiamento diminuiu os lucros do terceiro trimestre, que ainda assim bateram as expectativas, tendo em vista que a Airbus estabilizou os custos no problemático projeto do superavião A380, fazendo as ações da maior fabricante de aviões da Europa subirem com a revisão para cima da previsão para o ano.

Apesar do mau tempo nas economias desenvolvidas, Airbus e Boeing, que juntas controlam o mercado de 70 bilhões de dólares, estão aumentando a produção para atender à demanda da Ásia e Oriente Médio.

"Acredito que o mercado de aviões comerciais sustentará nosso crescimento nos próximos anos apesar do fraco cenário econômico, particularmente das economias europeias", disse o diretor financeiro da EADS, Hans Peter Ring.

O lucro operacional da EADS caiu 15 por cento, para 322 milhões de euros no terceiro trimestre. A receita perdeu 4 por cento, para 10,751 bilhões de euros. O lucro líquido teve crescimento expressivo, para 312 milhões de euros.

O grupo prevê que o lucro operacional de 2011 aumentará para 1,45 bilhão de euros, em vez de ficar estável em 1,3 bilhão de euros, por causa do mercado de avião comercial.

Analistas estavam esperando um lucro operacional de 51 milhões de euros sobre vendas de 10,37 bilhões de euros e um prejuízo líquido de 34,6 milhões de euros.

As vendas de aviões continuaram a aumentar apesar do medo de que a economia afetará o transporte de passageiros e de cargas.

Depois de dar nova vida ao campeão de vendas A320 com uma versão renovada, a maior fabricante de avião comercial do mundo agora espera pedidos recordes de 1.500 unidades em 2011 em vez da meta de 1.000.

A previsão, acima do recorde de 1,111 em 2005, está em linha com a previsão de fontes da indústria de que haverá a venda de pelo menos 100 aviões da Airbus no Salão de Dubai, na próxima semana.

Isso inclui a venda de mais cinco A380 para a Qatar Airways, que dobrou o pedido anterior.

A Airbus tinha 1.373 encomendas no fim de outubro.

Mais conteúdo sobre:
AEREAS EADS AIRBUS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.