Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Ela sonha com Bento e acorda em Mariana

Mônica dos Santos ainda vive no distrito - em sua imaginação; não é raro ela ir ao vilarejo antes ou depois do trabalho e nos fins de semana

Bruno Ribeiro e Márcio Fernandes, Enviados especiais

31 Outubro 2016 | 03h00

MARIANA - Havia um plano sendo bolado um mês atrás entre os sobreviventes de Bento Rodrigues. “A gente ia dormir lá no Bento. Eu decidi que quero dormir lá mais uma noite antes de ser alagado”, conta a auxiliar odontológica Mônica dos Santos, de 31 anos. O plano não deu certo porque um dos moradores do vilarejo morreu no fim de semana em que seria posto em prática.

“Esse que morreu, o Henrique, era um que só falava em voltar para o Bento. Estava juntando umas madeiras e dizia que voltaria para lá por conta própria, para criar seus bichos.” 

Mônica ainda vive em Bento Rodrigues - em sua imaginação. “Sonho com Bento e acordo em Mariana.” Não é raro ela ir ao vilarejo antes ou depois do trabalho e nos fins de semana.

“Não tem um segurança (da Samarco) que me impede de ir. Se chega algum para falar alguma coisa, coitado dele. Porque falo mesmo”, diz, com um sorriso orgulhoso e um olhar bravo. “A gente precisa ir para lá. É como voltar para casa, repor as energias.” No terreno destruído, observa a terra que era dela.

Mônica já trabalhava em Mariana antes da tragédia. Ia e voltava diariamente. Mas era de Bento que gostava.

“Ali é a nossa casa, nossa família, nossas coisas. A lama levou tudo.” O apego ao local é o que a motiva a ser uma das principais vozes contra a construção do dique S4, obra que a mineradora executa entre os destroços e o Rio Gualaxo. “De que jeito eles não vão alagar o que sobrou? Como a gente vai acreditar neles depois de tudo o que aconteceu?”, pergunta. 

Outra frustração é não ter tido a chance de escolher se o novo Bento seria reconstruído no mesmo lugar. “Se está seguro, por que não pode ser lá? Eles não nos deram essa chance. Fizeram eleição para construir Bento em outro lugar. Eu queria lá.”

A Samarco afirma que foi dada a opção para os moradores, mas que havia uma recomendação da Defesa Civil para que Bento fosse abandonado. Os representantes da mineradora, no entanto, reconhecem que o assunto não foi colocado em votação.

Mais conteúdo sobre:
Bento Rodrigues Mariana Samarco

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.