Ele 'falsificou para sonegar', diz advogado da cooperativa

"Ele (Andi Roberto) é muito desqualificado", reagiu o criminalista Pedro Dallari, advogado da Bancoop. "Foi prestador de serviço da Bancoop até dezembro de 2005 através da empresa de segurança dele, ARG.

, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2010 | 00h00

Segundo Dallari, o contrato de Andi foi rescindido pela atual gestão pela má qualidade dos serviços prestados. "Em 2006 ele tentou cobrar valores da Bancoop, até emitiu notas de cobrança. A cooperativa moveu ação contra ele e ganhou."

Sobre as notas de serviço em valor inferior ao que a Bancoop teria depositado, o criminalista foi categórico: "A Bancoop tinha um contrato com ele que previa pagamentos mensais de R$ 38 mil. Qual seria a vantagem para a cooperativa pedir a ele que emitisse nota menor?"

Dallari observou. "O que ele fez chama-se espelhamento de notas. Cortava um zero e virava R$ 3,8 mil. Fez isso para burlar o Fisco, pagar menos imposto. Ele é quem falsificou para sonegar. A Bancoop mantém em sua contabilidade todos os comprovantes de depósitos feitos para ele."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.