Eleição de nova calçada da Paulista começa hoje

A Avenida Paulista, o centro financeiro mais importante do País, ganhará calçadas novas que serão escolhidas em votação popular que se realizará de hoje até sábado, no vão livre do do Museu de Arte de São Paulo (Masp). A votação será aberta às 11h30 pela prefeita Marta Suplicy. Representantes de associações de deficientes físicos também estarão presentes para testar e opinar sobre as sete alternativas de piso. A intenção é por fim ao estado de deteriração que tomou conta das calçadas da região. Parceira da prefeitura na empreitada, a Paulista Viva (organização-não-governamental que tem por objetivo a revitalização da região) espera que a escolha do calçamento seja feita tendo em vista também aspectos técnicos e de acessibilidade aos deficientes. O presidente do Conselho Municipal da Pessoa Deficiente, Gilberto Frachetta experimentou transitar com cadeira de rodas sobre todas as mostras expostas e só aprovou o pavimento intertravado, representado em três das sete opções expostas para votação. A pedra mineira, o ladrilho hidráulico foram reprovados pelo excesso de trepidação e as placas de concreto, por serem demasiado escorregadias.O presidente da Paulista Viva, Nelson Baeta, explicou que a região precisa de um piso capaz de agüentar os carros-fortes e caminhões de abastecimento que circulam diariamente pelas calçadas da Paulista e que, ao mesmo tempo, ofereça facilidade de manutenção. O subsolo da calçada requer manutenção muito mais freqüente que o normal, em função da abundância de infra-estrutura urbana que corre abaixo do piso: instalações de esgoto, água, gás, energia elétrica, telefonia de voz e de transmissão de dados, TV a cabo, etc. "Precisamos de um piso forte, que permita o acesso às tubulações do subsolo de forma rápida, limpa e com o mínimo de ruído, para preservar o conforto e a segurança do grande número de pedestres que circulam por ali", disse Baeta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.