Eleita quer discutir segurança e saúde com governadores

A presidente eleita Dilma Rousseff disse ontem, em entrevista ao vivo às jornalistas Ana Paula Padrão e Adriana Araújo, da TV Record, que, em uma de suas primeiras medidas após tomar posse, convidará os governadores para discutir segurança e saúde. Os dois temas foram exaustivamente debatidos durante a campanha eleitoral por seu adversário, José Serra (PSDB), ex-ministro da saúde, que chegou a defender a criação de um ministério para a segurança. "Tenho duas metas, que são melhorar a saúde e a segurança do Brasil, e um dos meus primeiros atos como presidente será conversar sobre isso com os governadores", Ela disse que ainda não decidiu quem serão os membros de sua equipe de governo, mas nas próximas semanas começa a discutir a formação do ministério. Afirmou, contudo, que pretende manter a atual política econômica. "A principal característica de um governo nos dias de hoje é não gastar aquilo que não pode, mas manterei os gastos sociais e o investimento." De acordo com a presidente eleita, o primeiro dia após a vitória nas eleições foi marcada pelas reuniões com aliados e conversas com líderes de Estado estrangeiros. "Passei o dia de hoje (ontem) retornando ligações de chefes de Estado que me ligaram, entre os quais o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, da França, Nicolas Sarkozy, e Cristina Kirchner, da Argentina", contou. Segundo ela, Obama demonstrou muita preocupação com os níveis de desemprego em seu país. Na conversa, ela ressaltou o fato de ser entrevistada por duas mulheres e fez questão de rejeitar tentativas de controle da mídia. "O controle remoto é o melhor controle da população em relação à mídia."

, O Estado de S.Paulo

02 Novembro 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.