Eleita sofrerá com preconceito, diz petista

Nem o apetite do PMDB nem a oposição no Congresso. Para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff sofrerá mesmo é com o preconceito.

, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2010 | 00h00

Ontem, na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Lula disse que, apesar dessa herança, Dilma terá de enfrentar preconceitos, como ele afirma ter sofrido pelo fato de ser operário.

"O preconceito é a mais grave doença, pior do que o câncer. A pessoa que tem preconceito está morta por dentro, como se fosse um zumbi, sempre torcendo para as coisas não darem certo", afirmou o presidente.

Segundo Lula, o preconceito que ele já vivenciou foi visto na campanha contra Dilma Rousseff. "Os conservadores pareciam que haviam quebrado a casca do ovo, apenas porque era uma mulher e, então, eu fiquei muito assustado", declarou o presidente, referindo-se aos supostos ataques dirigido a Dilma durante a campanha.

Antes, na entrevista para as rádios comunitárias, Lula disse que "a Dilma não veio de onde eu vim mas ela vai para onde eu vou, ela vai fazer muita coisa, pode ficar certo que ela é uma mulher com uma cabeça boa, arejada, que tem compromissos sociais com o povo e acho que vai fazer coisas extraordinárias", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.