Eleitos já discutem royalties e CPMF

A repartição dos royalties de petróleo e uma eventual reedição da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) são estratégias que começam a ser discutidas por governadores de Estados de menor orçamento, como o Piauí.

Luciano Coelho, O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2010 | 00h00

O governador Wilson Martins (PSB), candidato à reeleição e líder nas pesquisas de intenção de voto no segundo turno, já tratou do assunto com os vencedores de seu partido no dia 3: Eduardo Campos (PE) e Cid Gomes (CE), reeleitos, e o estreante Renato Casagrande (ES).

"Os Estados menores e mais necessitados estão discutindo o pré-sal e a divisão dos royalties. Vamos mobilizar nossas bancadas no Congresso para essa questão", afirmou Martins, ao receber Casagrande em Teresina. "A intenção é resolver os assuntos que interessam aos Estados de forma conjunta", explicou o governador eleito do Espírito Santo.

CPMF. Martins citou como exemplo o financiamento da saúde pública. "O DEM e o PSDB acabaram com a CPMF, que era um imposto pago pelos ricos, por quem ganha mais dinheiro, que viabilizava a saúde. Queremos fazer um trabalho conjunto para regulamentar a Emenda 29 e melhorar a gestão na União, nos Estados e nos municípios", disse o candidato. A CPMF foi extinta em votação do Senado em 2007, uma das principais derrotas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Congresso.

Casagrande acrescentou que os Estados devem trocar experiências bem sucedidas entre si e unir forças. "Os menores têm que se unir e se agregar para discutir conjuntamente os problemas e para conquistar com mais facilidade recursos junto ao governo federal", argumentou o político capixaba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.