Eletrobrás libera R$ 60 milhões para recuperar energia em SC

Recursos virão da Reserva Global de Reversão, após decisão tomada pela companhia em conjunto com a Celesc

Agência Brasil,

28 de novembro de 2008 | 15h23

Os diretores das áreas financeira e técnica da Eletrobrás e das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) decidiram liberar linha de crédito no valor de R$ 60 milhões para a recuperação do sistema de distribuição elétrica do Estado, gravemente afetado pelas chuvas que castigam a região há mais de dois meses. A liberação dos recursos ficou acertada em reunião de emergência realizada nesta sexta-feira, 28, na sede da Eletrobrás, no Rio. O dinheiro virá da Reserva Global de Reversão, administrada pela Eletrobrás.    Veja também: Saiba como ajudar as vítimas da chuva IML divulga lista de vítimas identificadas SC pode ter mais chuva e deslizamentos Defesa Civil foca esforços no Morro do Baú SC tem nove rodovias totalmente interditadas  Massa doa macacão em prol das vítimas  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Blog Ilha do sem Blumenau  Blog Desabrigados Itajaí  Blog Arca de Noé  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas       Segundo boletim da Celesc desta sexta, cerca de 85 mil domicílios catarinenses estão sem energia devido aos danos causados pelas enchentes. A região mais atingida é Blumenau, onde o problema afeta cerca de 20 mil pessoas e há danos em 7,9% da rede de energia elétrica.   A Reserva Global de Reversão (RGR) é um fundo constituído com recursos pago pelo contribuinte através da conta de luz. Tem como finalidade investir nos serviços de energia elétrica, financiar a fontes alternativas de energia elétrica e desenvolver programas e projetos destinados ao combate ao desperdício e ao uso eficiente da energia elétrica.   Os recursos equivalem a no máximo 3% da receita da concessionária prestadora de serviço e o valor é definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com base no plano de investimento anual da empresa em questão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.