Eletropaulo cortará luz de dois mil consumidores

A Eletropaulo deve cortar a luz, entre e hoje e amanhã, de dois mil clientes que não cumpriram a meta de racionamento pelo segundo mês consecutivo, em sua área de concessão. A informação foi dada esta tarde por Fernando Mirancos, gerente de atendimento da distribuidora. O número se refere a um balanço parcial feito pela empresa, que tem capacidade total diária de cortes 10 mil, o que inclui os casos de inadimplência. O número total de metas não cumpridas em julho chegou a cerca de 1,2 milhão e a empresa não divulgou ainda qual seria o número total de reincidentes.Segundo ele, os dois mil consumidores foram notificados sobre o corte e o prazo de 48 horas para início das operações de desligamento foi cumprido. Os clientes que não cumpriram a meta, mas que fizeram pedido de revisão e ainda não obtiveram resposta não estão incluídos nesta primeira fase de cortes. "Estamos tomando todo o cuidado para não cometer nenhuma injustiça", disse Mirancos.A duração de cada corte é de até três dias, dependendo da capacidade operacional da Eletropaulo para efetuar as religações. A taxa para religação é de R$ 4,13. O trabalho será realizado por três mil funcionários entre contratados diretos ou indiretos, vindos das seis empreiteiras que prestam serviço à Eletropaulo. Com 4,8 milhões de clientes, a concessionária fornece energia para a Capital e mais 23 municípios do Estado de São Paulo, num total de 16 milhões de pessoas.Fernando Mirancos disse ainda que a segurança dos funcionários que estão realizando a tarefa está sendo observada. "Não colocamos em risco nossos empregados. Se alguém se sentir ameaçado por qualquer consumidor não precisa prosseguir com o trabalho", disse. A justificativa do gerente se baseia na liminar concedida, na semana passada, ao Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo, filiado à CUT (Sinergia-CUT), que proíbe a Eletropaulo e a Bandeirante de mandar seus empregados diretos ou indiretos realizarem cortes de luz, caso haja risco de saúde ou segurança. A multa diária por descumprimento da decisão é de R$ 5 mil por funcionário.Há também uma outra liminar, concedida ao Ministério Público de São Paulo, que impede a Eletropaulo e a Bandeirante de cortarem a energia elétrica dos usuários. Neste caso, a multa prevista é de R$ 1 mil por consumidor. A Eletropaulo, no entanto, reafirma que manterá os cortes, com base na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou constitucional os cortes e a cobrança de sobretaxa.Na opinião de Mirancos, o início do processo de corte é importante para a manutenção do racionamento pois, segundo ele, muitos consumidores começam a "relaxar" na economia de consumo. "Quem cumpriu a meta no primeiro mês, tentou restabelecer um pouco do conforto no mês seguinte, ampliando o consumo. Isto já é visível no acumulado deste mês", disse. O consumo de 1º a 19 de agosto até ontem caiu 23,6%, enquanto a queda registrada no acumulado do racionamento, de 1º de junho até ontem, foi de 25,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.