Elias Maluco ainda não tem destino certo

O governo do Rio aparentemente ainda não sabe o que fazer com o traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco.Preso na manhã desta quinta-feira, em uma megaoperação da Polícia Civil no Complexo do Alemão, o principal acusado do assassinato do repórter da Rede Globo Tim Lopes está sendomantido desde então no Batalhão de Choque da Polícia Militar, no Centro da cidade.Ainda sem rumo?Não sei dizer onde ele vai ficar. Ele ainda não entrou oficialmente no sistema prisional,está em prisão provisória?, disse o secretário de Justiça do Rio, Paulo Saboya. Minutosantes, ele afirmara que o criminoso seria levado para Bangu 1. Mudou o discurso apósser alertado por jornalistas de que ainda não há condenação ao traficante e, portanto,não poderia ficar em uma penitenciária, destinada a condenados.O chefe de Polícia Civil, Zaqueu Teixeira, também não soube responder sobre o destino daquele que mobilizou cerca de mil de seus policiais durante três dias. ?Não sei informar.?Elias Maluco faz críticasElias Maluco criticou nesta sexta-feira a proibição de visitas de parentes no Batalhão de Choque da Polícia Militar. Ele esteve por cerca de 20 minutos na manhã desta sexta com dois advogados que o assessoram e reclamou do fato de a Polícia Civil, responsável por sua prisão, tê-loobrigado a se apresentar à imprensa. Ele não queria ser fotografado.O traficante divide espaço com Marcos Antônio da Silva Tavares, o Marquinho Niterói, que foi levado para lá depois de ser encontrado com maconha durante revista às celas em Bangu 1.De acordo com o advogado Alberto Santos Pereira, seu cliente está em uma cela parecida com a do traficante Luiz Fernando da Costa, Fernandinho Beira-Mar, também preso no batalhão da PM. O cárcere se assemelha a uma jaula, com grades por todos os lados, até sobre a cabeça do preso.Pereira, que também defende Márcio Nepomuceno, o Marcinho VP, disse que Elias estava tranqüilo e não se surpreendeu com a detenção. ?Ele já imaginava que seria preso desde o início da megaoperação da Polícia Civil no Complexo do Alemão.?O advogado afirmou que Elias não estava autorizado a tomar banho de sol. Cinegrafistas efotógrafos, entretanto, disseram tê-lo visto e registraram imagens de um homem que seassemelhava fisicamente a ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.