Reprodução
Reprodução

Em 1º ato, prefeito na BA entrega chave da cidade ao 'Senhor Jesus Cristo'

Por decreto, Jairo Magalhães (PSB), de Guanambi, declarou que, agora, 'cidade pertence a Deus' e cancelou 'pacto com entidades espirituais'

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

03 Janeiro 2017 | 12h59

SÃO PAULO - Por decreto, Deus é quem, oficialmente, manda em Guanambi, município no interior da Bahia. Em seu primeiro ato,  o prefeito Jairo Magalhães (PSB) destinou a chave da cidade de 86 mil habitantes, localizada a quase 800 quilômetros da capital Salvador, ao Todo Poderoso e também ao “Senhor Jesus Cristo”.

Mas a decisão não se restringe à honraria, geralmente oferecida a quem presta serviços de relevância a um município. “Declaro que esta cidade pertence a Deus e que todos os setores da prefeitura municipal estarão sobre a cobertura do Altíssimo”, diz o Decreto Nº 1, publicado nesta segunda-feira, 2, no Diário Oficial.

Com a medida, também foram cancelados, “em nome de Jesus”, todos os “pactos realizados com qualquer outro Deus ou entidades espirituais” na cidade, onde há instituições religiosas das mais variadas crenças. É lá onde fica, por exemplo, o Terreiro Axé Roxo Mucumbe de H’anzambi, conhecido como Terreiro de Ogum, relacionado ao candomblé e considerado patrimônio cultural afro-brasileiro.

Ao justificar a decisão, o prefeito afirma que foi “designado por Deus” e “eleito pelo voto popular para a gestão 2017/2020”. Empresário do ramo de pneus e indicado pela antecessor, Magalhães foi escolhido por 50,85% dos eleitores de Guanambi e recebeu cerca de 23,9 mil dos votos válidos na cidade - 802 a mais do que o segundo colocado, Nilo Coelho (PSDB).

O decreto também estabelece que “todos os Principados e Potestades, governadores deste mundo tenebroso, e as forças espirituais do mal, nesta cidade, estarão sujeitas (sic) ao Senhor Jesus Cristo de Nazaré”, segundo o texto assinado por Magalhães. E finaliza: “E a minha palavra é irrevogável!".

O texto é copiado, quase letra por letra, de um decreto da prefeita Ilma Grisoste (PSD), que perdeu a última eleição em Sapezal, em Mato Grosso, e assinou o documento dias antes de deixar o cargo. Em 2011, a prefeita Carmen Lima Duarte (DEM), de Porto dos Gaúchos, também em Mato Grosso, entregou a chave da cidade a Jesus. Na ocasião, ela convidou líderes religiosos para simbolicamente receber a homenagem.

Na mesma edição do Diário Oficial de Guanambi, foram nomeados secretários e funcionários públicos, conforme os Decretos Nº 2 ao Nº 10. Os titulares da gestão participaram da cerimônia de posse na segunda-feira, realizada na Câmara Municipal.

“Quero desde já pedir austeridade, planejamento, tratar bem a todos, para que possamos elaborar as primeiras ações para trabalhar para a nossa terra”, afirmou Magalhães no evento, segundo notícia publicada no site da prefeitura de Guanambi. Nem a nota da prefeitura nem o Decreto Nº 1 informam quem deve representar Deus na cerimônia que marca a primeira ação da gestão.

Mais conteúdo sobre:
Deus Bahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.