Em 1ª votação, Câmara extingue frotas de táxi em São Paulo

A Câmara Municipal aprovou nesta quarta-feira, em primeira votação, o projeto de lei que extingue as frotas de táxi na cidade. A proposta foi aprovada por acordo de lideranças e voltará para ser analisada em plenário antes da aprovaçãodefinitiva.Pelo projeto, proposto pela prefeita Marta Suplicy (PT), as 62 empresas de táxi queatuam na cidade perderão seus alvarás. Caso seja transformado em lei, será aberta umalicitação para redistribuição dos alvarás para profissionais autônomos.Segundo cálculos da Prefeitura, dos 38 mil táxis que circulam na cidade, cerca de 4,2mil pertencem às frotas. No projeto enviado à Câmara, a prefeita justifica a medida comouma maneira de extinguir a exploração dos taxistas que alugam os carros das empresas.Alguns taxistas chegam a trabalhar mais de 12 horas para conseguir algum lucro, já queeles têm de pagar a diária dos carros.Antes da segunda votação, o projeto deve receber várias emendas.O vereador Carlos Giannazi (suspenso do PT) vai propor uma emenda para que os atuais motoristas de frota tenham prioridade na distribuição dos novos alvarás. O vereador, um dos principaisdefensores do projeto, também vai propor a abertura de linhas de crédito popular paraque os taxistas comprem carros próprios.Os vereadores também vão analisar umperíodo de transição para que as frotas encerrem suas atividades e o serviço sejaassumido por autônomos. Há mais de um mês um grupo de taxistas está acampado em frente ao Palácio Anchieta, sede do Legislativo municipal, para pressionar os vereadores a votarem a favorda proposta. Por outro lado, motoristas temem ficar desempregados com o fim das frotas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.