Em 12 horas, policiais matam nove suspeitos em Salvador

Policiais teriam reagido aos disparos durante operações feitas em dois bairros do subúrbio da cidade

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2009 | 16h11

Em pouco mais de 12 horas, a polícia baiana matou nove suspeitos em duas trocas de tiros em Salvador. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, nas duas ações - uma ocorrida na tarde de quarta-feira e outra no início da manhã desta quinta-feira -, policiais militares e civis foram surpreendidos por tiros e apenas reagiram. Apenas um policial teria ficado ferido.

 

Na primeira ação, segundo informações da polícia, quatro suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em assaltos a ônibus e a empresas teriam reagido à aproximação de duas equipes policiais que investigavam as ações do grupo no bairro periférico de São Caetano. Todos, incluindo os supostos líderes, Bruno Bonfim dos Santos e Anderson Santos dos Reis, foram mortos. Na operação, foram apreendidas quatro granadas, além de três revólveres, uma pistola e três computadores - supostamente roubados de empresas.

 

Às 5 horas desta quinta, outras duas equipes, das Polícias Civil e Militar, estariam fazendo buscas, na favela do Arenoso, atrás de um traficante conhecido como Jô Pivete, acusado de liderar o comércio de entorpecentes na região. Os agentes teriam sido recebidos a tiros e revidado, dando início a uma perseguição pelas vielas do local. Quatro casas foram invadidas pelos suspeitos antes que fossem atingidos pelos tiros ou presos.

 

De acordo com a polícia, cinco suspeitos, entre eles o criminoso procurado, foram feridos. Eles chegaram a ser levados ao Hospital Roberto Santos, mas não resistiram. Outros dois foram presos. Um policial civil foi atingido na mão, mas passa bem. Com os supostos criminosos, segundo a titular da Delegacia de Homicídios, Inalda Cavalcante, foram encontrados cinco armas e coletes da Polícia Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.