Em 24 horas, 11 são executados na Grande São Paulo

A chacina de Ribeirão Pires é a 21.ª do ano no Estado. Dois crimes do gênero ocorreram neste fim de semana na Grande São Paulo, em um intervalo de menos de 24 horas. Na noite de sexta-feira, três homens foram executados na frente de um bar na Vila Penteado (zona norte). As estatísticas mostram que, até o mês de julho, uma em cada três chacinas no Município teve a participação de policiais militares. Desde 1.º de janeiro, já foram executadas em chacinas pelo menos 85 pessoas em São Paulo. No ano passado, foram registradas 39 chacinas, com 136 mortos. Só na capital, houve 11 casos de 1.º de janeiro até sexta-feira, com 44 mortos e 9 feridos. Mas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública, os registros apontam apenas para dez chacinas neste ano. Na Região Metropolitana, até o dia 14 de setembro, oito casos de execuções múltiplas haviam sido registrados. Eles provocaram 32 mortes e deixaram quatro pessoas feridas. O maior episódio, até a noite de sábado, ocorreu na cidade vizinha de Ribeirão Pires, Mauá (no ABC), que em 25 de fevereiro teve cinco pessoas executadas. A maior chacina registrada na capital ocorreu em maio, no bairro do Jaraguá, na zona norte. Cinco homens e duas mulheres, que estavam numa praça, foram executados por quatro homens que chegaram em duas motocicletas e abriram fogo contra todos. Duas outras pessoas também ficaram feridas. Entre os executores estava um cabo da PM, que já está preso.

O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2017 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.