Em 30 dias, novas medidas antifraude

A direção da Polícia Civil se reuniu ontem com a da Prodesp para definir a adoção de medida antifraudes. Em 30 dias, a Prodesp passará a fazer a comparação das digitais cadastradas na hora do registro do candidato, impedindo assim que uma mesma digital seja usada por mais de uma pessoa nos exames para a carteira. O Detran vai obrigar a verificação dos endereços dos candidatos com RG ou CPF de outro Estado. Haverá um cadastramento preliminar do candidato para que possa ser encaminhado à realização dos exames. Por fim, o Detran informou que a revogação em 2007 da portaria que exigia o título de eleitor dos candidatos a motorista foi tomada por decisão do diretor do órgão, Ruy Estanislau Silveira Mello.A Delegacia-Geral de Polícia informou ontem que, ao tomar conhecimento das possíveis fraudes no sistema de coleta de digitais dos candidatos a motoristas, encaminhou tudo às delegacias seccionais para que os inquéritos respectivos sobre cada uma das 38 Ciretrans suspeitas fossem abertos. Não se tinha à época em que essa medida foi adotada conhecimento do envolvimento de funcionários das Ciretrans nas fraudes, o que só se ocorreu depois da Operação Carta Branca. Eis porque, segundo a polícia, a apuração das fraudes no caso de Ferraz de Vasconcelos ficaram sob a responsabilidade de um dos suspeitos no caso, o delegado Fernando Gomes.

Marcelo Godoy e Rodrigo Pereira, O Estadao de S.Paulo

10 de junho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.