Em 48 horas, três Airbus têm problemas durante o voo

Em pouco mais de 48 horas, três Airbus tiveram problemas em pleno voo e foram obrigados a fazer pousos de emergência em Guam, nas Ilhas Canárias e em Moscou. Ninguém ficou ferido. O caso mais grave foi registrado na ilha de Guam, no Oceano Pacífico. Um Airbus A330-200 da companhia australiana Jetstar com 203 pessoas a bordo - que fazia a rota entre Osaka, no Japão, e Costa Dourada, na Austrália - teve um princípio de incêndio na cabine de comando. É o mesmo modelo do voo 447 da Air France.O avião da Jetstar registrou o princípio de incêndio quando já estava com quatro horas de voo. Os pilotos utilizaram um extintor de incêndio para apagar o fogo, provocado por problemas no termostato do equipamento. O problema foi controlado rapidamente, segundo o diretor-gerente para Assuntos Corporativos e de Governo da Qantas Airways, controladora da Jetstar, David Epstein.Cerca de 12 horas antes, um modelo A320 da companhia escandinava Iberworld apresentou problemas no motor e foi obrigado a retornar ao Aeroporto de Las Palmas, nas Ilhas Canárias, dez minutos após a decolagem. Um terceiro Airbus, desta vez modelo A340, da Air China, que ia de Milão para Pequim, teve de fazer pouso de emergência na terça em Moscou, também após apresentar problemas em um dos motores. Na segunda-feira, dia 2, um Airbus A320 da empresa russa Aeroflot já havia feito um pouso de emergência em Novosibirsk, na Sibéria. Um dos para-brisas da aeronave rachou em pleno voo. A Assessoria de Imprensa da Airbus informou que a frota de A330 registra mais de 11 milhões de horas de voo e que não há motivos para relacionar esses casos ao acidente com o voo 447 da Air France.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.