Em 6 dias, chove metade do previsto para o mês

Até as 15 horas de ontem, foram registrados 70,8 milímetros de chuva na cidade de São Paulo, o que representa metade do previsto para todo o mês de outubro. A chuva intensa da madrugada cedeu no início da manhã e se manteve assim durante todo o dia, provocando grandes congestionamentos embora nenhum recorde tenha sido registrado. Além da chuva, o trânsito da manhã foi prejudicado por acidentes em algumas das principais vias da cidade, como a Marginal do Tietê e o Elevado Costa e Silva, que liga as zonas leste e oeste. Os índices de lentidão ultrapassaram a marca dos 100 quilômetros em todos os momentos entre 9 e 11 horas, o que ainda não havia acontecido neste segundo semestre. À noite, os congestionamentos estiveram dentro da normalidade para um dia de chuva. A temperatura também caiu ontem e a mínima na capital chegou a 12,3°C, segundo a Climatempo. O meteorologista Marcelo Pinheiro afirma que a frente fria que atinge a capital irá se afastar na manhã de hoje e o sol deve aparecer. A máxima deve chegar a 24°C. À tarde, outra frente fria chega ao Estado, acompanhada de uma massa de ar polar e umidade, causando queda de temperatura e aumentando a possibilidade de chuvas. "Essa nova frente fria deixa o tempo fechado até quinta-feira. Na sexta e no sábado, o sol aparece entre nuvens, mas há previsão de chuva para o período da tarde", relata Pinheiro. A Região Sul do Brasil, sobretudo os Estados do Paraná e de Santa Catarina, registra tempo nublado e temperaturas baixas, mas o volume de chuva é baixo. O Sudeste é a região com maior instabilidade. O estado do Rio de Janeiro terminou setembro com um volume de chuvas acima da média. Já Belo Horizonte marcou 35°C no domingo, maior temperatura do ano até agora. Para Pinheiro,períodos instáveis são comuns nesta época do ano, de transição entre estações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.