Em ações separadas, oito são presos no Rio

Oito pessoas foram presas e 250 quilos de maconha apreendidos no quarto dia da Operação Pressão Máxima para repressão do tráfico de drogas no Estado do Rio. Apesar dos desencontros de informações, a Polícia Federal entrou na operação. Vinte homens da PF chegaram ao Morro do Querosene, com o apoio de cinco PMs do Batalhão do Estácio e um helicóptero, para prender o traficante Irapuan David Lopes, o Gangan.Ele é acusado de metralhar o prédio da prefeitura, no ano passado, e organizou uma festa de aniversário no Morro de São Carlos, no fim de semana passado, que foi cancelada depois que seis rapazes morreram ao errar o caminho para a favela. Houve troca de tiros e eles conseguiram capturar Fábio da Silva de Oliveira, de 29 anos, o Mata-Porco. Ele é acusado de ser o executor de Gangan, que não foi encontrado. Segundo a polícia, ele esquartejava suas vítimas. Mata-Porco estava com duas granadas.Próximo dali, policiais prenderam Maicon Ubirajara Loiola de Oliveira, de 18 anos, no Morro do Zinco. Ele é suspeito de ter participado da chacina em que seis convidados para a festa de Gangan morreram. Oliveira era procurado por homicídio, porte ilegal de armas e tentativa de assassinar um policial. Outro criminoso considerado importante pela polícia capturado foi Josias Alves dos Santos, de 21 anos. Ele é acusado de liderar bondes (comboios de traficante) em Inhaúma, na zona norte, e de dois homicídios. Segundo policiais, ele era chefe do tráfico na Favela da Galinha, de onde foi expulso. Ele foi preso no bairro de Engenho da Rainha, escondido na casa da avó.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.