Em Belém, Marina recebe receita contra 'olho gordo'

Em visita ontem à feira do Ver-o-Peso, tradicional ponto turístico de Belém, a candidata do PV à Presidência, Marina Silva, foi saudada por vendedores de frutas e ervas. Durante o passeio, Marina recebeu declarações explícitas de votos e até recomendações de eleitores para se dar bem nas urnas.

Carlos Mendes / BELÉM, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2010 | 00h00

A vendedora de ervas amazônicas Maria Alves, por exemplo, aconselhou a candidata a usar em suas caminhadas um preparado de essências à base da planta conhecida por "cegaste a mim", muita usada no Pará para espantar o "olho gordo" de vizinhos invejosos e concorrentes. A planta serviria para atrair amor, sorte e dinheiro. Maria disse que se a candidata seguir seu conselho terá uma "pororoca de votos" no domingo.

Marina contou ter morado na cidade, nos anos 60, quando sua família saiu do Acre, e sempre acompanhava a mãe ao Ver-o-Peso para comprar gó - um peixe de água doce muito consumido na região. Segundo Marina, o peixe era assado e comido com farinha.

O feirante Raimundo Souza disse ter ficado feliz com a presença da candidata em sua barraca. "Eu ia votar na Dilma, mas agora meu voto é da Marina. Ela é uma pessoa da Amazônia e entende o nosso modo de vida. Para o pessoal do governo, lá em Brasília, a gente aqui nem existe. Só no censo do IBGE", disse.

O desenvolvimento sustentável da Amazônia, segundo a candidata, estará entre suas prioridades. Promete combinar ações de infraestrutura, uso sustentável das florestas, agricultura com sustentabilidade para grandes e pequenos proprietários, respeito às populações tradicionais e valorização de seus produtos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.