Em carta, corregedor diz que Beira-Mar não pode ir para Brasília

Como parte da mobilização para impedir a transferência do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, para Brasília, o corregedor da Justiça do Distrito Federal, desembargador Getúlio Moraes Oliveira, disse, em carta enviada ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que Beira-Mar não pode ser trazido para a capital federal.Na carta, Getúlio Moraes afirma que há decisão do juiz da Vara de Execuções Penais, Eduardo Rosas, que impede a transferência. Declara ainda que os presídios do DF não oferecem "condições materiais para abrigar, com segurança, presos de maior periculosidade originários das demais unidades da Federação."O desembargador também se manifestou contrário à construção de um presídio federal para presos perigosos. "É bem previsível que a empreitada, além de subpor a capital do País à condição de Alcatraz, poderia implicar numa senha perversa para a liberdade de sentenciados à custa da liberdade de autoridades ou diplomatas", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.