Em carta, governo do Rio pede desculpas a ingleses assaltados

A fim de tentar desfazer a má impressão que a violência do Rio causou no grupo de turistas ingleses assaltados na semana passada, o governo do Estado entregou a eles uma carta em que pede desculpas pelo ocorrido. Assinado pelo secretário estadual de Turismo, Sérgio Ricardo de Almeida, o texto expressa "profunda solidariedade" e diz que a cidade, " a exemplo de outras grandes metrópoles", tem como desafio o combate à criminalidade.A carta, redigida em inglês, foi entregue na noite de ontem pelo subsecretário, Nilo Sérgio Felix, a Phillip Carruthers, diretor-geral do hotel Copacabana Palace, onde os ingleses se hospedaram. Eles foram presenteados com exemplares de um álbum com fotos de pontos turísticos do Estado. O gesto foi determinado pela governadora Rosinha Matheus. A mensagem diz que "infelizmente, apesar de todas as medidas de segurança que o Estado adota para proteger seus cidadãos, a cidade do Rio de Janeiro, a exemplo de outras grandes metrópoles, às vezes enfrenta desafios desse tipo, que são combatidos com a máxima energia". Informa que se trata de um "caso excepcional" e "a estrutura de segurança do Estado tem condições de garantir a tranqüilidade e o bem-estar de seus visitantes". Somente com relação aos roubos (com a presença da vítima), dados da Delegacia de Atendimento ao Turismo (Deat) mostram que houve 1.079 casos em 2005. Foram 1.044 em 2004; 984, em 2003; 1.049, em 2002.Os ingleses devem voltar para casa amanhã, conforme estava previsto desde o início da viagem. O delegado Ricardo Andreiolo, da Deat, que investiga o caso, já tem pistas que poderão levar aos bandidos, mas prefere não divulgar as informações para conseguir prendê-los o mais rapidamente possível. Eles seriam de uma quadrilha que atua no aeroporto internacional Tom Jobim.Na quinta-feira da semana passada, o ônibus que levava os 33 ingleses foi interceptado no centro da cidade, no caminho do aeroporto para Copacabana. Vinte e três pessoas tiveram dinheiro, jóias e aparelhos eletrônicos levados. Eram três homens num automóvel. Retratos falados de dois deles já foram divulgados. Os turistas vieram por meio de uma agência especializada em organizar passeios que incluem corridas de cavalos e visitas a haras.

Agencia Estado,

24 de janeiro de 2006 | 18h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.