Em carta, partido defende liberdade de imprensa

Em contraponto a parte do PT, que defende o controle social da mídia, legenda diz que posição vem dos tempos do MDB

, O Estado de S.Paulo

16 Setembro 2011 | 00h00

BRASÍLIA

Para se contrapor a setores do PT e montar uma agenda mais próxima da classe média que seja capaz de atenuar os estragos provocados pelos escândalos de corrupção na imagem do partido, o PMDB saiu ontem em defesa da liberdade de imprensa.

Em carta divulgada durante o encontro que marcou o início da mobilização do PMDB pelas eleições municipais de 2012, o partido afirmou que a garantia à liberdade de imprensa é um dos compromissos assumidos pelos parlamentares, governadores e prefeitos da legenda.

"O PMDB é contra qualquer controle de conteúdo, desde quando era MDB já apoiava a liberdade de expressão", disse o presidente interino do partido, senador Valdir Raupp (RO). Na lista de 15 diretrizes divulgada pela sigla, que vão da universalização do ensino fundamental até "zelar pela tradição da diplomacia brasileira", o quinto item diz: "Garantir a liberdade de imprensa, que é luta nossa desde a criação do MDB".

A atitude do PMDB de sair em defesa explícita da liberdade de imprensa contrasta com a posição de parte dos integrantes de seu principal aliado, o PT. No 4.º Congresso Nacional do partido, no início do mês, setores da legenda saíram em defesa do controle social da mídia. A direção da sigla anunciou uma "campanha forte" pela aprovação do projeto que cria o marco regulatório da mídia no Congresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.