Em cenário de festa junina, Serra inaugura Linha 2 do Metrô

Governador aparece em cabine de novo trem ao lado de Alckmin e Lembo

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 10h04

Em uma cenário com cascata de fogo, escola de samba, pipoca, algodão doce e canhões de luz, o governador José Serra (PSDB) inaugurou neste sábado, 30, a Estação de Alto do Ipiranga, da Linha 2 do Metrô. Ele apareceu na cabine do trem acompanhado dos ex-governadores Geraldo Alckmin e Claudio Lembo, além do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). Diferente das outras estação, a do Alto do Ipiranga é considerada ecologicamente correta. O local possui uma cobertura aberta que permite ventilação natural e as escadas rolantes funcionam com velocidade reduzida quando não há passageiros, o que resulta em mais economia de energia elétrica. A estação é a terceira da expansão da linha verde do Metrô e foi construída em tempo recorde de 22 meses. Juntos com as estações Imigrantes e Chácara Kablin, entregues no ano passado, o trecho tem 3,4 quilômetros que vão até a Ana Rosa. O custo total do trecho foi de R$ 954 milhões. A estimativa do Metrô é que 40 mil pessoas utilizam a estação por dia. Em 2010, estão previstos a inauguração de mais três estações. Serra prometeu quadruplicar a extensão da linha verde até 2010 com a inauguração de mais três estações: Sacomã, Tamanduateí e Vila Prudente. Ele destacou que a nova estação vai atender vários estudantes de universidades particulares que se localizam na região. "É uma obra que o bairro esperava há 20 anos", disse Serra para o público que segurava bexigas verdes distribuídas pelo Metrô. Em seguida, houve apresentação da escola de samba imperador do Ipiranga, mas o governador preferiu não se arriscar a dançar, porque "não leva jeito para o samba". Depois da inauguração, Alckmin andou pelo bairro e lembrou de quando estava em campanha política. Abraçou e tirou fotos com moradores, além de comer um pão na chapa em uma padaria próxima da nova estação de metrô. Ele preferiu não falar sobre seu futuro político. Disse apenas que está em uma fase que lembra a música do cantor Zeca Pagodinho. "Estou deixando a vida me levar. Por enquanto estou preocupado em dar minhas aulas e estudar medicina", disse.

Mais conteúdo sobre:
metrô Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.