Em cidades como Boituva, cobrança foi suspensa

Ao contrário de Vargem, outras cidades encontraram formas de não prejudicar os moradores com a cobrança de pedágio. Pindamonhangaba, por exemplo, tem duas praças que isentam moradores e carros cadastrados cujos proprietários têm vínculos na cidade. Elas estão em vias ligadas à Rodovia Presidente Dutra e passam dentro da cidade. Ambas foram construídas para evitar fuga do pedágio da Dutra. Estudantes que vão a escolas na cidade também recebem o benefício e caminhoneiros cadastrados na prefeitura pagam o pedágio e depois são reembolsados. A lei que regulamentou a isenção entrou em vigor em novembro. Antes, todos pagavam. Pela Dutra, após a divisa de São Paulo, moradores da cidade fluminense de Resende conseguiram na Justiça o direito de não pagar o pedágio principal de R$ 8,50 no km 318, que divide a cidade ao meio. Em Indaiatuba, para coibir uma fuga do pedágio no km 60 da SP-75 (R$ 8,50), a concessionária Colinas instalou uma praça de bloqueio nas alças de acesso do trevo do km 62 da SP-75 (norte e sul). Os pedágios da SP-75 foram instalados em dezembro de 2006. Mas, para evitar problemas com os moradores, veículos com placas de Indaiatuba ganharam isenção. Segundo a concessionária, aproximadamente 6 mil veículos licenciados em Indaiatuba passam diariamente pelo pedágio de bloqueio, no qual ficam livres de pagamento.BOITUVAO mesmo acontece em Boituva. Não por acaso, muitas empresas da região e paulistanos que têm chácaras ali passaram a licenciar seus carros na cidade. Antes da construção das praças de bloqueio pela concessionária Colinas, a prefeitura manteve um pedágio municipal na Estrada dos Rosas, mas apenas caminhões de outras cidades pagavam a tarifa. Na época, usuários recorreram à Justiça, que suspendeu a cobrança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.