ICMBIO
ICMBIO

Em crise, Parque da Chapada dos Guimarães interrompe visitas guiadas

Segundo a administração, a situação financeira inviabilizou a renovação de contratos de vigilantes terceirizados; empresários e guias protestaram

Fátima Lessa e Giovana Girardi, Especial para o Estado

01 Novembro 2016 | 16h17

CUIABÁ - O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, amanheceu nesta terça-feira, 1, fechado para agendamento de visitas guiadas, depois que contratos de vigilância com empresas terceirizadas foram encerrados, no fim de outubro – não haveria renovação por falta de recursos.

O Estado apurou que ainda na segunda-feira, quando ficou evidente que alguns serviços não poderiam funcionar, foi enviado um e-mail de uma técnica do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade para agentes de turismo, informando que a partir de ontem os atrativos do parque para agendamento de visitação estariam fechados. “A medida ocorre por causa de restrições orçamentárias que inviabilizaram renovação de contratos”, dizia o texto.

A informação revoltou empresários e guias, por causa do feriado prolongado. E eles prometeram fazer um ato na frente do parque nesta quarta-feira, feriado de Finados, ocasião em que costuma haver mais visitantes.

Funcionários do ICMBio (órgão responsável pela gestão de unidades de conservação federais) ouvidos pela reportagem relataram que, após a perda dos oito vigilantes terceirizados pela não renovação do contrato, os quatro servidores do ICMBio que lá trabalham, juntamente com os seis integrantes da Brigada de Incêndio, tentaram se organizar para manter o parque em funcionamento.

O sistema de agendamento online ficou paralisado das 18 horas de segunda até 10 horas desta terça e depois foi retomado com este sistema de revezamento dos servidores. O parque permaneceu aberto para as visitas que podem ser feitas sozinhas e para as guiadas que tinham sido previamente agendadas.

A paralisação foi o ápice de uma crise que se estende desde o ano passado e pode atingir vários outros parques do Brasil. Como consequência da redução do orçamento do Ministério do Meio Ambiente, o ICMBio não vem conseguindo renovar contratos e há uma expectativa de que o problema ocorra em breve em outras unidades de conservação federais.

Atrações. Considerado um dos principais pontos turísticos de Mato Grosso, só perde em visitação para o Pantanal, o parque foi criado em 1989. Recebe cerca de 175 mil visitas ao ano, e 85% são somente para o Véu de Noiva, que pode ser acessado livremente. O restante vai para as visitas guiadas, que envolvem mais risco. A alta temporada acontece de dezembro a fevereiro e em julho.

Por meio de nota, o ICMBio disse apenas que “a visitação de atrativos no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães está funcionando normalmente”. Sem um líder desde a morte do presidente Rômulo Mello, em 10 de outubro, ninguém do órgão quis falar com a imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.