Em depoimento na PF, Hamilton Lacerda inocenta Mercadante

Em depoimento na Polícia Federal, nesta sexta-feira, Hamilton Lacerda, ex-coordenador de campanha de Aloizio Mercadante, candidato do PT ao governo de São Paulo, respondeu a todas as perguntas feitas pelo delegado Diógenes Curado e pelo procurador da República, Mário Lúcio Avelar, e reafirmou que Mercadante desconhecia o caso do dossiê.Segundo o advogado Roberto Zacarias Toron, seu cliente não levou os R$ 1,75 milhão aos petistas Gedimar Passos e Valdebran Padilha, em um hotel em São Paulo, para a compra de um dossiê que vincularia o ex-ministro da Saúde e candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra, à máfia dos sanguessugas. "Ele (Lacerda) negou peremptoriamente que tivesse sido a pessoa que levou o dinheiro", disse.O advogado admitiu que Lacerda viu as fotos que comprovam a presença dele no hotel, confirmou que ele carregava pastas, mas disse que não havia dinheiro nelas, e sim material de campanha do PT, boletos bancários e material de uso pessoal. "Ele não manuseou em qualquer momento o dinheiro e não falou sobre a origem do dinheiro. Ele não levou o dinheiro", reafirmou. "Se houve, ele não participou de nenhum tipo de negociação", disse.Toron explicou que Lacerda deixou também um notebook para que Gedimar checasse a autenticidade das informações do dossiê dos Vedoin. "Ele deixou o notebook lá e foi embora". Hamilton Lacerda, que prestava depoimento desde às 10h15, deixou a Policia Federal pela garagem e não falou com a imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.