Em dez dias, 25 homens ligados ao PCC são presos no MS

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul e uma equipe de inteligência da Força Nacional de Segurança prenderam, nos últimos 10 dias, 25 homens no Estado acusados de terem relações com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). São criminosos responsáveis pelo tráfico de drogas que vêm da Bolívia e do Paraguai para serem distribuídas em São Paulo e, possivelmente, pela entrada ilegal de armas no País.O grupo de inteligência da Força Nacional já estava operando em Mato Grosso do Sul há 10 dias, mas o governo do Estado e o Ministério da Justiça evitavam confirmar a informação. São cerca de 20 homens que operam na investigação, junto com a Polícia Civil. "Não adiantava mandar simplesmente a tropa. Aqui não havia gente morrendo na rua, as rebeliões foram contidas nos presídios", disse Luiz Fernando Corrêa, secretário nacional de segurança pública do Ministério da Justiça. "Começamos com um trabalho de inteligência para preparar a chegada das tropas".Ontem, chegaram os 200 homens e mulheres da Força Nacional de Segurança que farão o patrulhamento ostensivo de cidades e fronteiras do Estado. Em uma cerimônia em Campo Grande, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, assinou com o governador José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, um convênio que autoriza o uso das tropas por 60 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.