Em dois anos, este é o oitavo acidente nas obras do Metrô

As obras de construção da linha 4 do Metrô, em Pinheiros, que vai ligar a Luz a Vila Sônia, já registraram outros acidentes. Em dois anos, este é o oitavo caso. O mais grave ocorreu no dia 05 de outubro, quando o operário José Alves Souza, 56 anos, morreu após desmoronamento na obra da Estação Oscar Freire do Metrô. Ele teve traumatismo craniano. O colega dele, Jairson da Silva, sofreu apenas escoriações leves. Souza estava a 25 metros de profundidade dentro de um túnel onde futuramente funcionará uma das plataformas da estação, na esquina da Rua Oscar Freire com a Rebouças. Ele instalava placas de segurança, que serviam exatamente para evitar desmoronamentos. As placas são fixadas a cada 80 centímetros do túnel que já estava com 23 metros de comprimento. A terra cedeu na parte da frente do túnel. Na hora do acidente, 40 pessoas trabalhavam no local. No total, são 2.700 operários em 27 frentes de trabalho.Um deles, que estava de folga no dia do acidente, disse que desde segunda-feira havia pequenas erosões nas paredes de barro. A obra chegou a ser interditada. Em abril, uma fissura, seguida do afundamento de cinco centímetros no teto de um túnel, entre as futuras estações Pinheiros e Faria Lima, causou a interdição preventiva de oito casas na Rua João Elias Saad, em Pinheiros, e 19 pessoas precisaram deixar suas casas. Na Rua Sumidouro, um sobrado desabou após queda parcial da parede de um túnel e outros dois imóveis tiveram danos parciais em dezembro O túnel do Metrô, que vai ligar a zona sul ao centro e está orçado em R$ 1,2 bilhão, deverá estar pronto no final de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.