Em horário eleitoral, Lula afirma que pode fazer segundo governo melhor que o primeiro

No último dia de horário eleitoral gratuito, o presidente e candidato à reeleição pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, procurou ressaltar as condições para a governabilidade em um eventual segundo mandato: "Se for reeleito, minha responsabilidade aumenta. A comparação não será mais com meu antecessor, mas comigo mesmo. Não temo essa comparação, porque sei que poderemos fazer um segundo governo ainda melhor do que o primeiro. Temos projetos, temos equipe, e apoio político para isso". O presidente completou dizendo que está no rumo certo.Lula também pediu votos e disse que aprendeu muito nos últimos quatro anos, "seja com meus erros, seja com meus acertos. Os erros me indicarão para onde não caminhar, os acertos me mostrarão por onde avançar de forma melhor e diferente". Ele disse que, quando assumiu, o País estava em crise, e agora ele está crescendo.O candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, continuou batendo na tecla do escândalo da tentativa de compra por petistas de um "falso dossiê". Ele apresentou uma retrospectiva do episódio e ainda citou as decisões da Justiça de determinar a prisão de seis petistas envolvidos no escândalo, a do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de notificar Lula para dar explicações sobre o caso e a denúncia por corrupção de Humberto Costa e Delúbio Soares. O tucano mostrou cenas em comícios junto a políticos aliados como Aécio Neves (PSDB-MG), José Serra (PSDB-SP), Paulo Souto (PFL-BA), Marconi Perillo (PSDB-GO) e Luiz Henrique (PMDB-SC). Alckmin reapresentou sua biografia, pediu votos e prometeu "continuar e melhorar o Bolsa Família", oferecer remédios de graça, diminuir impostos, aumentar empregos e implantar medidas para melhorar a segurança e educação.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2006 | 16h23

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.