Em Interlagos, tentativa de assalto deixa 1 morto e 6 feridos

Ladrões abordaram PMs à paisana para levar moto e mecânico morreu no meio do tiroteio

Camilla Haddad e José Dacauaziliquá, O Estadao de S.Paulo

06 Fevereiro 2009 | 00h00

Um homem morreu e seis pessoas ficaram feridas na manhã de ontem durante uma tentativa de assalto contra dois policiais militares, em Interlagos, na zona sul de São Paulo. Os PMs, à paisana, estavam parados no semáforo em uma moto Hornet quando criminosos tentaram levar o veículo. Houve tiroteio. O mecânico William da Silva, de 25 anos, ficou no meio do fogo cruzado e morreu após ser atingido por duas balas perdidas. Os ladrões fugiram.Também foram baleados o pintor de paredes Juarez Di Sena Rosa, de 28 anos, a analista de call center Alessandra Maria Neres, de 27 - que estavam dentro de um ônibus a caminho do trabalho -, o vigilante José Pedro Dias, de 39, e a auxiliar de produção Maria De Fátima Dias, de 40, que caminhavam pela calçada quando foram atingidos por tiros na perna. Comerciantes fecharam as portas.Segundo a polícia, os PMs estavam em uma moto no semáforo do cruzamento da Avenida Interlagos com a Nossa Senhora do Sabará. Ao perceber que seriam assaltados por um homem em uma moto Twister, o tenente Rafael San Martino, de 24 anos, que estava na garupa, atirou duas vezes na direção do criminoso.O bandido desceu da moto e disparou duas vezes. Os tiros atingiram o queixo e a clavícula de San Martino. O PM e o criminoso entraram em luta corporal. Durante a briga, o outro policial, o também tenente Rafael Ramos, foi atingido no peito, está internado no Hospital das Clínicas e não corre risco de morte. A polícia não sabe se ele estava armado.O mecânico William da Silva estava em uma Honda CG, parado próximo da moto dos PMs, quando foi baleado.De acordo com o delegado Luís Fernando Saab, do 99º Distrito Policial (Campo Grande), outro suspeito apareceu numa moto preta e atropelou Martino, levando sua arma, uma pistola ponto 40. No local do crime foram encontradas nove cápsulas de pistola ponto 40, de uso da Polícia Militar.RECÉM-FORMADOSOs dois policiais que foram alvo dos criminosos se formaram no ano passado na Academia da Polícia Militar do Barro Branco, na zona norte. Eles são do interior e estavam de folga. No momento da abordagem, seguiam para a zona sul para acertar os últimos detalhes da mudança de endereço. O ex-policial militar rodoviário Nicola San Martino, pai de Rafael San Martino, lamentou a tragédia envolvendo o filho. "O Rafael é um garoto muito tranquilo. Ele poderia ter morrido. Infelizmente, quem não tinha nada a ver morreu", disse.Investigadores do 99º DP requisitaram as fitas de vídeo gravadas pelas câmeras de segurança da região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.