Em julho, Lula volta a despachar no Planalto

Quando voltar de seu giro pela África nas duas primeiras semanas de julho, o presidente Lula poderá novamente despachar no Palácio do Planalto, que esteve fechado por 15 meses para reforma. Nesse período, Lula trabalhou em um gabinete improvisado do Centro Cultural Banco do Brasil, a três quilômetros dali.

Leonencio Nossa / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2010 | 00h00

Mas nem todos estão comemorando a volta ao palácio de 36 mil metros quadrados, que ganhou novas redes hidráulica e de ar-condicionado e uma garagem para 600 carros. Lula orientou a equipe a abrigar o pessoal de cargos de confiança nos quatro prédios anexos e outros edifícios.

Com a reforma, acabaram os "puxadinhos" e as paredes levantadas no quarto andar. Ali trabalhavam os arapongas e militares do Gabinete de Segurança Institucional, os "petistas" da Casa Civil e da Secretaria-Geral e os comissionados da Secretaria-Geral da Presidência. A reforma consumiu R$ 98 milhões, R$ 20 milhões a mais do que o previsto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.