Em liberdade, cantor Belo fará shows no Rio

Após um mês foragido, o pagodeiro Marcelo Pires Vieira, o Belo, 29 anos, condenado por tráfico de drogas e associação ao tráfico e beneficiado na segunda-feira por um habeas-corpus, afirmou hoje que fugiu porque é inocente e não queria reviver situações experimentadas na prisão, em junho de 2002. ?Fiquei 37 dias preso. Senti na pele. Então, (a decisão de fugir) foi uma coisa do meu intuito, do meu coração. Ninguém disse: faça isso, faça aquilo?, contou, ao falar pela primeira vez em público desde a fuga, em 11 dezembro. Ele se mostrou confiante na absolvição: ?Acredito na Justiça de Deus e também na Justiça do nosso País. Tenho a certeza de que sou inocente, por isso é que eu fugi?. O cantor, que teve a prisão decretada pela 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, garantiu o direito de aguardar em liberdade o julgamento do mérito do habeas-corpus com uma liminar concedida pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Nilson Naves. Aparentemente tranqüilo, Belo falou por meia hora no escritório de seus advogados, no Centro do Rio, e só perdeu a calma ao se referir à fita de vídeo gravada no mês passado, no qual confessou ter omitido à polícia a informação de que era dele a voz registrada em uma conversa telefônica com o traficante Waldir Ferreira, o Wado. A gravação é a base da condenação dele a oito anos de prisão. Belo evitou confirmar o que havia dito na fita de vídeo e, diante da insistência dos repórteres para esclarecer a questão, um dos advogados dele, Humberto Telles, ameaçou encerrar a entrevista. ?Ele não vai ser julgado agora. Ele não está aqui para ser interrogado. Ele está aqui para saldar a imprensa do Rio de Janeiro e dizer que está realizado e feliz com a sua liberdade?, disse o advogado. Belo admitiu ter sentido medo nas últimas semanas e contou que, em momento algum, pensou na carreira enquanto esteve escondido. Agora, porém, vai se concentrar na carreira e já tem shows marcados para o sábado, domingo e segunda-feira, na casa de show Coqueluche, na Barra (zona oeste). ?Vou reerguer a carreira. É um novo recomeço. Vou continuar a fazendo o que eu sempre fiz a minha vida inteira: cantar. A única coisa que sei fazer?. Proibido de sair do município do Rio, Belo quer tentar na Justiça uma autorização para fazer shows em outros Estados. ?Eu vivo disso?, justificou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.